Celso Junior e Sida marcam sexto dia do Queer Lisboa


Para o sexto dia do Festival, a organização programou a exibição de um documentário de David Weissman, “We Were There” que evoca os anos tenebrosos em que a sida se declarou na cidade de São Francisco, a mortandade que causou e sobretudo a forma solidária como a população reagiu  a esse impacto.

Passaram pelo ecran testemunhos de homens e mulheres que viveram esse período e assistiram ao sofrimento e à morte de amigos, namorados, companheiros, conhecidos.
Guy, Paul, Sean e outros, uns médicos, outros cidadãos comuns deram o seu contributo para os “que não estavam lá”, percebam que a doença existe, mata, mas também pode ser prevenida.

Weissman coseguiu transmitir em declarações emocionantes e emocionadas toda a tragédia que pairou sobre aquela cidade norte americana que ainda vivia sob o efeito de Woodstock e das flores que vão para São Francisco, como diz a canção.

O debate que contou com Kamal Mansinho e Jaime Nina do Hosprial Egas Moniz, e Pedro Silvério Marques co Centro Anti-Discriminação Vih-Sida, trouxe a lume questões pertinentes e perturbantes.

Segundo os profissionais dde saúde do Egas Moniz, o número de infectados tem vindo a aumentar, tendo aparecido casos de jovens de 15 e 17 anos.
A prevenção que contava com 150 colaboradores para actuarem no terreno, tem agora…06! Não será assim que se reduzem as despesas a nivel da Saúde, certamente! O Hardmusica questionou os intervenientes sobre medidas eventualmente tomadas pelo Ministério da tutela, mas a resposta foi negativa.

No fim da noite foi exibido um documentário de Panageotis Evangelidis, “The Life and Death of Celso Junior” que retrata a vida deste artista que tem um fetiche original, botas, e outro menos original, fardas.
No fim da exibição do filme, durante o período de perguntas e comentários Celso travestiu-se, como sendo a sua morte e o seu renascer. Foi bonito!

Celso, brasileiro de uma localidade perto de São Paulo, vive actualmente na Suiça, e foi um dos “fundadores” se assim lhe podemos chamar do Queer Lisboa.
O Queer Lisboa 2011 aproxima-se do fim. Para dia 23, sexta feira, está programada a exibição de duas longas metragens em castelhano , “Piedras” de Matias Marmorato da Colômbia, e “Tierra Madre” de Dylan Verrechia, do México.

HardMusica – 26.09.2011

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

  • Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

    Junte-se a 24 outros seguidores

%d bloggers like this: