Portugueses têm de contribuir com 10% para corrigir o défice da Saúde


O Ministério da Saúde tem dois anos para poupar cerca de 1.088 milhões de euros e os utentes terão de suportar cerca de 10% deste esforço. São mais de 104 milhões, o equivalente a um milhão de euros por semana em 2012 e 2013, avança o Diário Económico.

 

A contribuição dos portugueses poderá ser feita por várias vias: corte nas deduções fiscais com saúde, aumento do preço dos medicamentos e das taxas moderadoras, redução das isenções e diminuição das coberturas (como o transporte de doentes ou os reembolsos directos).

 

As medidas estão pré-anunciadas pela ‘troika’ e Paulo Macedo corre contra-relógio. O ministro tem uma semana para apresentar os aumentos e isenções das taxas moderadoras. A ideia de anexar o valor das taxas aos rendimentos ficou por terra.

 

Pagam os que podem e quem não tem recursos ficará isento, já garantiu Paulo Macedo.

 

Ainda assim, os aumentos podem ser substanciais.

 

Na entrevista que deu à RTP na terça-feira, o primeiro-ministro não quis levantar o véu. “Não posso afirmar qualquer ideia parecida com essa”, disse Passos Coelho quando questionado se o valor das taxas poderia duplicar.

 

De acordo com a Ordem dos Enfermeiros, que esta semana reuniu como secretário de Estado da Saúde, Manuel Teixeira, “o ajustamento orçamental necessário terá de ser suportado, em parte, pelos utentes, nomeadamente através do aumento das taxas moderadoras e da revisão do sistema de isenções”.

 

Os hospitais são, contudo, quem mais contribuirá para o esforço de consolidação orçamental. De acordo com dados da tutela, a que o Diário Económico teve acesso, os hospitais terão de fazer cortes na despesa equivalentes a 367 milhões de euros nos próximos dois anos, ou seja, 34% do esforço total. Um valor que pode, contudo, não ser alcançado.

 

A ‘troika’ tem vindo a alertar para o facto dos hospitais poderem comprometer as metas do memorando e colocar, assim, em causa, as próximas tranches de dinheiro.

 

A seguir aos hospitais serão as farmácias e a indústria quem mais terá de apertar o cinto: o ministério espera arrecadar 233 milhões de euros com medidas no âmbito dos medicamentos e redução das margens de lucro dos laboratórios e farmácias.

Diário Económico – 22.09.2011

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

  • Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

    Junte-se a 24 outros seguidores

%d bloggers like this: